[Tary's Library] Enfeitiçados pelo Desejo


Ano: 2014
Autor: Sylvia Day
Editora: LeYa
160 páginas
Sinopse:
   Quando magia e desejo se unem, tudo pode acontecer.   Max, um poderoso feiticeiro. Victoria, uma bruxa selvagem capaz de se transformar. Ele deve caçá-la e submetê-la a seus desejos antes de entregá-la ao Conselho Superior dos Feiticeiros, mas algo impensável o obriga a mudar de planos. Uma ligação inesperada faz com que desenvolvam um poderoso vínculo, ainda que Max ignore a força dos poderes de Victoria.   Juntos devem enfrentar o perigoso Triunvirato, três irmãos responsáveis pelo desaparecimento de um antigo amor de Victoria. Em Enfeitiçados pelo desejo, a luta contra a magia negra se mistura à crise que as responsabilidades de Max como Caçador e a submissão involuntária de Victoria geram para o relacionamento. Serão as forças do mal mais poderosas do que um grande amor?



Resenha:

   Primeiramente, é um livro para maiores de 18 anos, ou seja, erótico. Foi o primeiro livro desse gênero que li, já tinha vontade antes, mas não conseguia descobrir livros do gênero, no começo porque eu era menor, e depois porque não pesquisei a fundo o suficiente para achar. Mas por sorte tivemos aquele surto de pseudo-leitores por Cinquenta Tons de Cinza, que o único lado bom (ou não, ainda não sei ao certo) foi fazer com que livros eróticos tomarem a frente nas livrarias.

   Eu ainda estou tentando definir o que eu achei desse livro. Eu gostei bastante dos elementos de magia. Victoria é uma familiar. Os familiares são animais/criaturas mágicos que acompanham magos e bruxos e lhes dão suporte. Conhecia o termo de jogos de rpg, mas nunca tinha visto eles em livros, então achei interessante. No livro, os familiares passaram por uma pequena alteração do popular, eles possuem forma humana também, e é dai que sai todo o enredo.

   Os familiares são obrigados a se emparelharem com magos pelo Conselho Superior. Victoria pertencia à Darius, que recusou um cargo de poder no Conselho para ficar ao lado dela. Como vingança, o Conselho o mandou para uma missão que sabia que não iria voltar vivo. Antes de morrer, Darius passou toda sua magia para Victoria, a tornando imensamente poderosa.

   Victoria passa os séculos seguintes vivendo no mundo humano, e se tornou proprietária de uma rede de hotéis. Durante todo esse tempo o Conselho tenta 'domá-la', novamente. Para eles, um familiar sem mago se torna um selvagem e abre brechas para a magia negra (aliás, isso foi outro detalhe interessante de se citar, a margem entre a magia branca e a magia negra).

   Todo caçador enviado para domá-la falha. Eles entram em um jogo sexual, onde tentam mimá-la e agradá-la para assim domina-la, familiares precisam ser cuidados e agradados como bichinhos de estimação, e nisso ela muda o jogo a seu favor, seduzindo e tomando total controle da situação. Essa era a vingança dela, derrotar cada caçador, e assim humilhar o Conselho e todos seus esforços.

  A história na verdade começa quando Max aparece para um reunião. Disfarçado de um detetive que vai ajudar a encontrar seu colar roubado. Max é um caçador, e ela sabe disso. O maior competente e profissional que o Conselho poderia mandar. E aí se desenrola mais um jogo erótico, se ela derrota-lo, humilharia o Conselho totalmente. Se ele domina-la, chegará ao topo com um lugar garantido nele.

  A partir daí a história se desenrola. Bom, quis falar de toda a parte mágica envolvida no livro porque esta realmente me interessou. E em relação à 'cenas' de sexo. Em primeiro lugar, achei relevante a sutileza como ela descreve alguns detalhes, como o toque sutil do dedo na palma da mão após um aperto, para mostrar um ligeiro interesse. Depois associei à um pornô de tv, não soft-porn, aqueles do Maxprime mesmo. Mas depois acho que a história ganhou um conteúdo um pouco melhor que apenas "sexo do nada". Mas ainda assim, o desenvolvimento dela é bem precoce, do jeito que personagens começam a se amar numa paixão explosiva e animal de uma página para outra. beleza a gente entendeu que o sexo foi bom. Outra coisa que me desagradou no livro foi a falta de personagens, o livro passa muito carregado entre o romance intenso e pesado dos dois protagonistas, constantemente, o que o torna cansativo, uma falta de interação e diversidade de clima e diálogos.

   O livro manteve um quase ambiente de sadomasoquismo. Há relação de dominação sobre Victoria, aquela história de que "não precisa ser fraca para ser submissa", algumas brinquedos eróticos e outros aparelhos usados para a prática de BDSM. Digo 'quase' porque ele não é totalmente explorado, apenas ilustrado.

   Mas, fiquei pensando, um dos motivos do 50 Tons de Cinza ter sido tão negativo, foi o fato de apresentar a mulher como uma submissa, alguém que deve agradar ao homem. Não li, mas assisti (e espero que sirva de parâmetro de comparação, me desculpem, mas acho importante estabelecer parâmetros.), e Victoria não é o mesmo tipo de submissa que a Anastásia. A grande prova de amor dela é se entregar sendo a mulher poderosa que é, se entregar sendo que sempre foi uma mulher no comando e no poder. Porém, lendo outras sinopses de livros da Day, e espero lê-los ainda para confirmar melhor. Muitos dos seus livros se tratam de mulheres submissas à homens poderosos.

   A escrita é romântica, e carregada de detalhes, e como falei á cima, são detalhes importantes que me atrairam na escrita dela. Apesar disso, ela perde essa elegância quando vai descrever o sexo em si (nessas horas que viram porno de Maxprime). Como uma primeira vez lendo um livro erótico, não achei ruim de todo, mas esperava mais da tão aclamada Silvia Day.


Outras capas:





Retrato Steve
Steve disse que a partir de agora vai tirar foto com todos os livros que tiver resenha.

16 comentários:

  1. Menina, já vi muito esses livros na livraria (porque eu trabalhava em uma, e trabalhei em várias) mas nunca soube realmente do que a autora escrevia. O nome dela, portanto, não me é estranho, e eu não fazia ideia que rolava essas paradas sobrenaturais na história. Me interessei a ler! <3 Tá que tem a parte erótica, mas nunca li nada do gênero, acho que vou passar pela experiência qualquer dia! Gostei da resenha. Beijos!
    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu particularmente li pouca coisa erótica, mas tenho muito interesse em ler mais. Mas ainda estou para achar a/o autor/a que me agradará por completo

      Bites!

      Excluir
  2. Não tinha ideia de que esse livro ia trazer tantos elementos sobrenaturais. Fiquei até curiosa. Mas vou te contar que muitos livros do gênero acabam parecendo um pornô mesmo na hora de descrever o sexo. Não sou muito chegada não, prefiro quando é mais sutil.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho grande interesse nesse gênero, mas realmente não sei se conseguir achar um que me agrade 100%

      Bites!

      Excluir
  3. Não conhecia essa obra, mas a semelhança com a capa de 50 tons de cinza me desanimou um pouco. Foi um dos únicos livros da vida que eu não consegui terminar de ler! Não costumo me interessar muito por romances e o toque erótico normalmente erra bastante a mão. Ou fica fofura demais, ou porno de Maxprime, como você falou haha Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinceramente me interesso pelo erotismo hauhauhau Não cheguei a ler 50 Tons, mas conheço a fama, e realmente esperava que esse livro fosse um pouco melhorzinho.

      Bites!
      Tary Belmont

      Excluir
  4. Os elementos sobrenaturais me interessaram, eu adoro coisas que envolvam magia e bruxos! Só não me interessei mesmo pelo livro devido ao romance, não sou muito fã de romance em livros de fantasia/sobrenatural hahaha Gostei da resenha :)

    Epílogo em Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O central mesmo é o romance, a feitiçaria foi só um toque mesmo.

      Bites!

      Excluir
  5. Acredita que eu nunca li nada do gênero? Eu tentei ir pelo cinquenta tons de cinza, mas desisti antes da metade da leitura. Minha irmã é apaixonada pelo gênero, e sim ela já leu este livro.

    Agora a capa, achei linda hahahahahah <3
    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu escolhi este para começar, não achei lá essas coisas, mas é melhor que 50 Tons com certeza XD

      Bites!

      Excluir
  6. Muito boa dua resenha. Nunca li nada do gênero e nem tenho interesse, pra ser sincera. Nem é puritanismo ou falso moralismo, é só questão de gosto mesmo. Pode ser que algum dia eu mude de ideia e leia. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^^ Entendo sua questão, não acho que as pessoas são "safadas" ou "pervertidas" por gostar de livros desse gênero, então não julgo o contrário.

      Bites!

      Excluir
  7. Talvez se o livro fosse todo baseado na magia, eu tentaria buscar pra ler, mas não curto livro erótico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a história seria boa se fosse mais detalhada, com ou sem erotismo.

      Bites!

      Excluir
  8. Eu cheguei a ler o Cinquenta Tons de Cinza (só o primeiro mesmo), mas não curti muito. Foi o primeiro que li desse gênero erótico. Mas gostei da sua resenha desse. Acho que por causa dos fatores sobrenaturais. ^^
    Acho que darei uma chance.
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém merece começar um gênero por uma obra ruim.

      Bites!

      Excluir